Voluntários de 7 países juntos pela causa da PcD

Já imaginou reunir voluntários com conhecimentos sobre diversas áreas para impactar uma instituição? Então conheça essa história.

A Fundação Telefônica Vivo realiza o Vacaciones Solidarias Internacionales. Um programa de voluntariado corporativo no qual os colaboradores podem se inscrever. Assim, dedicam 15 dias de suas férias ao trabalho voluntário em projetos sociais.

Sobre o projeto

Assim sendo, em 2017, a ASID foi parceira no desenvolvimento do projeto, realizado na Escola 29 de Março, em Curitiba. Então o objetivo foi desenvolver algumas áreas de gestão e atividades pedagógicas da escola. Isto é, aquelas que surgiram como demanda da direção e dos funcionários.

Programa de voluntariado corporativo Vacaciones Solidárias, na Escola 29 de Março

O projeto mobilizou:

  • 16 voluntários de 7 países
  • 47 funcionários da Escola 29 de Março
  • 13 funcionários da ASID
  • 107 alunos com deficiência múltipla
  • Além de 3 membros da Fundação Telefônica Vivo

De tal forma que o trabalho abordou diversos assuntos e foi organizado em três etapas. Assim, na primeira etapa houve a contextualização do grupo sobre o terceiro setor no Brasil. Logo depois os desdobramentos desse cenário junto à pessoa com deficiência.

Na segunda parte, foi realizada uma oficina de Design Thinking. Portanto, com atividades práticas voltadas à melhoria da Escola 29 de Março.

Como resultado, na terceira etapa, foram promovidos momentos de integração com alunos e funcionários. Visando gerar empatia e estreitar os laços entre esses públicos.

Voluntários
Voluntária da Fundação Telefônica Vivo e pessoa com deficiência atendida pela Escola 29 de Março

Em resumo, o grupo de voluntários se dividiu em 3 frentes de trabalho: rotina, tecnologia e captação de recursos.

Ações realizadas pelos voluntários

  1. Rotina: deveria desenvolver projetos que respondessem à pergunta “Como fazer a rotina dos alunos da 29 de Março mais feliz?”. Então os voluntários organizaram o “Dia da beleza” para os alunos. Também houve a instalação de caixas de som nos ônibus escolares, dentre outras atividades.
  2. Tecnologia: a equipe trabalhou a pergunta “Como utilizar a tecnologia como a das telas digitais para otimizar o desempenho da organização?”. Dessa forma, focou em desenvolver as redes sociais e o site da escola, além da capacitação dos professores para utilização de telas digitais.
  3. Captação de recursos: o grupo realizou uma reforma no bazar, onde a escola realiza a venda de roupas doadas, e elaborou alguns materiais institucionais. Por exemplo banner e plaquinhas de sinalização.

Resultados

  • 1.280 horas de trabalho voluntário
  • Origem dos voluntários: Argentina, Brasil, Colômbia, Espanha, Itália, Peru e Venezuela
  • 2 parcerias realizadas: Instituto Embelleze e Fundação Athletico Paranaense
  • 1 espaço completamente renovado e 5 itens doados
  • Comunicação institucional renovada
  • 2,5 horas de capacitação em marketing digital para os profissionais da escola

Assim, a satisfação de voluntários e pessoas com deficiência, demonstrou a importância e o impacto que as atividades tiveram na vida de cada participante.

Quando pensamos em estar com eles, achamos que eles precisam de ajuda. Mas isso não é verdade. Somos nós que precisamos de ajuda.

Marco Costa, Voluntário do Vacaciones Solidárias

Deseja conhecer mais programas de voluntariado corporativo executados pela ASID? Então acesse os cases:


Sem respostas a "Voluntários de 7 países juntos pela causa da PcD"


    Tem algo a dizer?

    Se você achou este conteúdo útil, compartilhe com quem possa se interessar!