Inclusão Consciente da PcD, o case do Instituto InterCement

Inclusão consciente da PcD, é nisso que o Instituto InterCement! Assim, com um projeto desafiador, a ASID trabalhou a construção da cultura inclusiva na empresa.

Sobre o projeto

Dessa forma, foram trazidos temas centrais sobre a vida da pessoa com deficiência. Com um olhar sistêmico sobre o indivíduo e vivências que criam empatia. Assim foi criado, de forma colaborativa, um ambiente mais preparado para a inclusão. Como resultado foram realizados 4 workshops de sensibilização na causa das pessoas com deficiência. Ao passo que houve a participação de um total de 54 colaboradores e a nota de satisfação ficou em 9,12.

A primeira parte dos workshops começou com uma contextualização sobre a realidade da pessoa com deficiência. Portanto, trazendo dados estatísticos e a vivência da ASID Brasil na causa. Logo depois houve a participação dos colaboradores da InterCement em pequenas dinâmicas e desafios, para esclarecer suas principais percepções acerca do tema.

Logo após esse momento mais teórico do workshop foram realizadas atividades. De tal forma que houve a divisão dos participantes em três equipes. Contudo, cada uma das equipe tinha uma meta e deveria realizar a atividade como uma pessoa com deficiência. As deficiências simuladas foram motora, visual e intelectual.

Dessa forma, o objetivo durante a execução das atividades, as equipes chegassem a resposta de um problema que demandava raciocínio lógico e negociação. A atividade simulava um processo interno que acontece diariamente na InterCement.

No entando, o objetivo era criar empatia dos colaboradores participantes com os desafios de cada deficiência. Como resultado percebendo que muitas vezes as barreiras são criadas pela sociedade e não tanto pelas PcD.

Acesse gratuitamente:

A maior barreira para o alcance do resultado foi, justamente, o grau de dificuldade do próprio processo de negociação e interpretação da atividade. Ou seja, não sendo a deficiência um elemento decisivo.

Logo após a conclusão das dinâmicas foi propiciado um momento para refletir e debater sobre as percepções dos participantes e em como aquilo influenciava seus relacionamentos com colegas com deficiência.

Dessa forma, esse debate foi um dos momentos mais valiosos, considerando que nesse ponto os participantes já se sentiam à vontade para interagir e participar da discussão.

A segunda parte dos workshops consistiu em ações práticas que buscaram integrar os atendidos de instituições para pessoas com deficiência com os colaboradores InterCement. Assim sendo, foram convidados professores e pessoas ligadas as instituições, que ministraram atividades com os participantes.

Ao final, todos se despediram, certamente com uma sementinha de empatia, tolerância e inclusão atitudinal plantadas em seus corações.

Em resumo, os comentários coletados na pesquisa de satisfação dos participantes e durante os momentos de reflexão nas atividades confirmam isso. Ou seja, atestando o alcance do objetivo proposto e o início da disseminação de uma cultura organizacional inclusiva no ambiente de trabalho da InterCement.

Desenvolvimento de uma cultura inclusiva

Saiba o que os participantes das vivências e workshops apontaram como principais competências desenvolvidas durante as atividades:

  • 85% dos participantes desenvolveram trabalho em equipe
  • 80% mencionaram que melhoraram sua comunicação e aumentaram a capacidade de ouvir
  • 73% acreditam que criaram empatia e aumentaram o relacionamento interpessoal

Resultados

  •  54 gestores, diretores e colaboradores participantes
  • 43 PCD’s envolvidos no projeto
  • 9,12 de satisfação nos workshops
  • 9,06 de relevância no dia a dia dos colaboradores

Depoimentos

“Acredito que o projeto Construindo a Diversidade nos ajudou a rever os conceitos em torno da questão da inclusão consciente do profissional com deficiência no mercado de trabalho. Mais especificamente na InterCement. Foi um grande passo em direção a sensibilização de todos os funcionários. Ou seja, desde aqueles responsáveis pelas contratações, que são os gestores, até os colegas que trabalham junto com os profissionais que possuem algum tipo de deficiência. Assim, o sucesso do projeto nos deu força para fixar as bases iniciais de um programa de diversidade da InterCement, que futuramente abrangerá novos temas.”

Flavio Seixa, Coordenador de Investimento Social da InterCement

“Independente da obrigatoriedade, no Brasil a chamada Lei de Cotas (art. 93 da Lei nº 8.213/91) que estabelece a contratação de profissionais com Deficiência. A empresa também enxerga com um outro ponto de vista social quanto econômico. Para a PcD, a atuação nas empresas significa uma forma de exercer uma atividade laboral remunerada de maneira digna. Em resumo é, ainda, a possibilidade de estabelecerem uma interação constante com outros profissionais. Trata-se de um caminho para a independência e a construção de uma autoestima mais saudável. O que favorece todo o processo de sociabilidade, inclusive em outros ambientes. Além disso, entendemos que a Inclusão Consciente gera impactos positivos na saúde Organizacional. Por exemplo destaco: comunicação direta, melhora a administração de conflitos/empatia, atua no desenvolvimento de sentimentos de empatia/vínculo afetivo, maior paciência e tolerância/espontaneidade, melhora a estabilidade emocional.”

Milene Zulim, Coordenadora de Recursos Humanos da InterCement

Quer conhecer mais histórias de inclusão consciente? Então acesse os cases de inclusão da ASID:


Sem respostas a "Inclusão Consciente da PcD, o case do Instituto InterCement"


    Tem algo a dizer?

    Se você achou este conteúdo útil, compartilhe com quem possa se interessar!