Dicas para trabalhar a inclusão de verdade!

Antes de iniciar o processo de contratação de pessoas com deficiência, o ideal é que você faça um diagnóstico interno para verificar o quanto a sua empresa está pronta para receber novos colaboradores. Geralmente, esse diagnóstico fornece pistas importantes sobre os grupos que precisam ser sensibilizados e sobre as adaptações necessárias no ambiente e nas políticas organizacionais.

Tente elaborar um roteiro de perguntas que guie o processo de diagnóstico. Algumas sugestões são:

  • A minha equipe está preparada para trabalhar com uma pessoa com deficiência?
  • Quais tipos de deficiência se adequariam melhor às atividades que desenvolvemos na nossa área?
  • Os colaboradores conhecem os diferentes tipos de deficiência?
  • A empresa possui uma estrutura física adaptada e tecnologias assistivas adequadas para o desenvolvimento do trabalho das PCDs?

Além disso, pensando especificamente no processo de Atração e Seleção de talentos com deficiência, algumas perguntas adicionais são importantíssimas:

  • As atribuições da vaga estão bem definidas?
  • Conheço os tipos de deficiência que se enquadram no perfil da vaga?
  • Quais instituições podem me ajudar a encontrar bons candidatos?
  • Onde devo divulgar a vaga e buscar currículos de PcDs?
  • Existe um plano de retenção para esses colaboradores?

É sempre indicado procurar uma organização que possa te dar suporte no processo e criar uma estratégia para trabalhar em cima das respostas dessas perguntas. A ASID faz justamente isso, e pode ser um grande apoio na hora de organizar todo esse conteúdo!

Se você olhou para todas as perguntas da primeira dica e pensou “Caramba, é muita coisa!”, você não está totalmente errado! Infelizmente, o tema da acessibilidade não é tão discutido quanto deveria, de forma que é sempre necessário buscar novas informações para aprender mais sobre o assunto.

A boa notícia é que existem ótimas fontes de informação! Tanto o Blog do Hugo quanto o Blog da ASID estão recheados de conteúdo e materiais educativos sobre outros aspectos da inclusão. O Portal Acesse é outra boa opção: lá você encontra notícias e colunas sobre os mais variados temas ligados à acessibilidade!

Apesar disso, existe uma fonte que é frequentemente esquecida e que supera todas as outras: as próprias pessoas com deficiência! Quem melhor para explicar as dificuldades e conquistas do que quem as vive?

Não tenha medo de perguntar! Isso aproxima as pessoas e mostra que você realmente está interessado e procurando fazer a diferença 😉

Esse conteúdo foi co-criado com a Hand Talk, quer saber sobre eles? Acesse o site aqui.


4 Replies to "Dicas para trabalhar a inclusão de verdade!"

  • Viviane alves
    25 de março de 2018 (20:32)
    Responder

    Boa noite! Sou psicóloga, moro em Florianopolis (SC), tenho interesse em desenvolver um trabalho de inclusão e acompanhamento as pessoas com deficiência com o intuito de inseri- las no mercado de trabalho. Desde o processo seletivo, até inserção nas empresas e sensibilizaçao dos colaboradores e gestores. Descobri o site de vocês , tive acesso ao conteúdo e gostaria de saber se oferecem algum suporte ou treinamento relacionado a temática. Se for possível aguardo retorno. Att

    • ASID
      27 de março de 2018 (17:40)
      Responder

      Oi Viviane, tudo bem? Aqui na ASID trabalhamos sensibilizando e preparando as equipes de empresas parceiras para fazer a inclusão consciente de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

      Nós temos uma série de e-books e publicações aqui no blog que podem ajudar: https://asidbrasil.org.br/e-books-e-relatorios.

      Porém não fazemos esse trabalho voltado para pessoas físicas. Espero que os materiais ajudem, qualquer dúvida ou informação adicional que precisar, nos avise. Abraços!

  • Reginaldo
    27 de março de 2018 (12:54)
    Responder

    Boa tarde.
    Meu Nome é Reginaldo, tenho 43 anos, preste a fazer 44 anos.
    Sou formado em Publicidade e Propaganda pela PUC-SP, infelizmente não consegui atuar na Area, tive fazer uma escolha, continuar trabalhando e pagar a faculdade ou fazer um estágio que me pagaria 1/3 da mensalidade, no momento estou Desempregado porém sem dividas com a instituição de ensino.
    Li o artigo acima, concordo.
    Um dos grandes problemas que encontro e observo nas vagas para PCD’S, é uma padronização em Salários e setores.
    Ex: Parece que pessoas com Deficiência AMAM trabalhar em RH e não podem ganhar além da media Salarial a R$1.200,00.
    Em quando as empresas continuarem ver pessoas PCD’S como um artificio para diminuição Tributária esse problema continuará e nivelar vagas por baixo esse problema será eterno.

    Devido a Dificuldade de conseguir um Emprego de verdade não apenas um quebra galho, peço por gentileza caso surgirem vagas para PCD’S para as Cidades de Fernandopólis, Valentim Gentil e Votuporanga, caso queiram montei um grupo só para isso.
    Obrigado por sua Atenção.

    Att. Reginaldo

    • ASID
      27 de março de 2018 (17:42)
      Responder

      Olá, Reginaldo, tudo bem?

      Concordamos com tudo que você falou, muitas empresas ainda vêem as pessoas com deficiência do ponto de vista de preencher a cota, para não pagar multas. Enquanto as empresas pensarem assim o nivelamento será do jeito que você falou e não alcançaremos uma sociedade inclusiva.

      Anotamos o seu contato e caso surjam vagas te avisaremos. Abraços e desejamos sucesso na sua busca.


Got something to say?

Some html is OK