Saiba como captar mais recursos melhorando a gestão da sua organização

As organizações sem fins lucrativos pretendem fornecer serviços de alta qualidade aos seus beneficiários. Com o alto número organizações solicitando doações de pessoas físicas e empresas se torna cada vez mais trabalhoso conquistar apoiadores. Para alcançar o sucesso é muito importante ter em mente o papel do gestor da organização, também chamado de diretor, presidente e outros, é  a pessoa responsável por manter a casa em ordem, com muito conhecimentos e acompanhando vários aspectos no dia a dia. Um organização deve melhorar e profissionalizar continuamente seu trabalho, o que coloca cada vez mais demandas na gestão e liderança de uma organização.

Mesmo que você ame a área de atuação da sua organização, isso não é o suficiente. Para você ser mais eficiente e poder ajudar cada vez mais pessoas, você precisa entender sobre gestão e administração: vendas, marketing, finanças, pessoas, entre outras áreas. Existe uma palavra para isso: polímata. Um polímata é uma pessoa que entende muito de várias áreas. Gestores de organizações sem fins lucrativos precisam ser polímatas.

Hoje eu gostaria de te ajudar a ser um gestor melhor, te dando 9 dicas sobre como captar mais recursos melhorando gestão da sua organização, extraídas de uma rede de empreendedores que trocam conhecimento sobre gestão e negócios, a Polímatas.

 

1) Revise suas práticas atuais.

Se você trabalha próximo aos seus beneficiários, antes de discutir sobre sustentabilidade com um beneficiário existente ou potencial, reveja suas práticas atuais e faça melhorias. Seu formulário de inscrição inclui algo que vai te dar insights sobre seu método de atuação? Você está pedindo por feedbacks e sugestões? Você já pediu comentários de beneficiários anteriores e fez melhorias com base nesses feedback?s Uma revisão adequada de suas práticas permitirá que você registre resultados no futuro.

2) Atualize seu modelo de orçamento.

Muitos apoiadores não desencorajam itens que garantem a sustentabilidade do escritório. As organizações devem pensar em adicionar no orçamento itens que são pré-requisitos para a execução do trabalho como computadores e ferramentas de qualidade, treinamento de pessoal, incluindo uma equipe dedicada a procurar novas empresas parceiras e apoiadores e que trabalhe nas comunicações. Embora possa parecer que esses itens serão à custa do impacto do projeto no curto prazo, o caso é na verdade o contrário. Organizações de alta capacidade e com recursos suficientes poderão planejar e produzir um maior impacto ao longo do tempo. Elas também serão muito menos dependentes de sua sobrevivência de um único apoiador, ou seja, serão mais sustentáveis, e falando nisso…

3) Tenha um plano de sustentabilidade.

Uma vez que você decidiu trabalhar com captação de recursos, prepare um um plano de sustentabilidade orientado para a ação. Um plano curto com metas específicas, que atribui tarefas a certos funcionários e um sistema para controlar o destino dos fundos para fazê-lo ir na direção certa. Certifique-se de ter um plano básico e instruções disponíveis. Ou esteja pronto para apoiar a ONG no desenvolvimento desse plano.

4) Faça angariação de fundos de forma contínua.

Muitas ONGs tendem a desacelerar suas atividades de angariação de fundos uma vez que recebem uma doação considerável, apenas retomando seus esforços assim que o financiamento chegar ao fim, quando já é tarde demais para encontrar alternativas. Para que a angariação de fundos seja bem sucedida, as ONGs devem angariar fundos de forma contínua, conquistando novas empresas parceiras e apoiadores e diversificando seu mix de financiamento. Os apoiadores podem estimular esse processo, exigindo relatórios trimestrais sobre os esforços empreendidos e doadores contatados e compartilhamento de informações e contatos.

5) Peça suporte técnico.

Muitas organizações, especialmente as menores, têm capacidade limitada para angariar fundos. Os apoiadores, com seus conhecimentos de financiamento e, em geral, maior capacidade, estão bem posicionados para apoiar as ONGs em sua angariação de fundos. Peça comentários sobre propostas e relatórios, bem como a revisão e críticas nas postulações e abordagens de outros doadores podem ser valiosas. Você também pode participar de encontros entre organizações do terceiro setor  – existem algumas instituições que fazem essa aproximação. É importante buscar por conhecimento técnico – por que você não dá uma olhada em nossos eventos gratuitos sobre gestão e negócios?

6) Faça alianças estratégicas.

Conforme comentamos no tópico anterior, você pode e deve ir atrás de outras organizações – não só que trabalhem na mesma vertical, mas também de outras. Vocês podem contribuir com insights valiosos umas para as outras. Na rede da Polímatas, por exemplo, temos designers, advogados, engenheiros e comerciantes que, apesar de trabalharem de maneiras e com produtos bem diferentes, participam de nossos eventos e compartilham suas melhores práticas em marketing digital, vendas, organização financeira, produtividade e outras áreas. Não só isso, você também pode se aliar com outras organizações para que elas te ajudem com partes deficitárias na sua equipe ou expertise – por exemplo, talvez você não seja tão bom organizando eventos. Alguma organização possa organizar um evento para você, em troca da mensagem de responsabilidade social que ajudar uma ONG possa ser vinculada. As possibilidades são infinitas!

7) Trabalhe com a sua rede de segundo grau.

Uma rede de primeiro grau é composta pelas pessoas que você conhece. A de segundo grau, pelas pessoas que suas conexões conhecem. Você pode e deve pedir por indicações de seus conhecidos, parceiros e outros apoiadores. Essas redes podem ser utilizadas para ampliar o suporte para sua organização. Assim você depende menos das abordagens frias – quando você contata alguém sem que ela esteja ciente de que você o fará – e passa a contar com indicações e pessoas mais receptivas ao seu contato. Um método interessante é fazer campanhas de indicação.

8) Foque na qualidade, não no orçamento mais baixo possível.

Pense em valor por real gasto e não em baixo custo. Ao espremer cada último real do orçamento disponível, o primeiro que as organizações farão é cortar custos que não darão nenhum benefício no curto prazo, incluindo treinamento, captação de recursos, administração e ferramentas necessárias para a sustentabilidade a longo prazo. Entendemos que já é difícil o suficiente conseguir o financiamento para todas as atividades – mais fácil falar do que fazer. Contudo, não criem uma meta confortável e que vocês sintam que possa ser alcançada – trabalhem para crescerem e aumentar a estrutura da sua organização. Muito mais do que “conteúdos extras”, esses tipos de investimentos só vão ajudar vocês a conquistarem a sua missão e ajudar mais pessoas.

9) Trabalhe com comunicação de forma eficiente.

Para que as pessoas saibam sobre sua organização, é necessário se comunicar com freqüência. Coloque no seu plano de marketing e comunicação a tarefa de fazer uma publicação trimestral de resultados e projetos, tanto com as notícias positivas, quanto os desafios que estão enfrentando – olha aí uma chance de abrir oportunidades para que outras organizações venham até você!

Conclusões:

Se você quer cumprir sua missão com mais eficiência e qualidade, é essencial que você comece a profissionalizar o seu trabalho e sua gestão. Antes de tudo, você está liderando uma organização, independente da causa ou finalidade dela; e uma condição inerente a todas as organizações é que elas precisam de previsibilidade: é essencial você ter algum grau de certeza sobre o seu futuro e que você possa se sentir confortável para fazer um planejamento de mais longo prazo, uma vez que o seu amanhã não está em cheque.

Conte com a Polímatas e com outras empresas que atuam justamente para ajudar organizações sem fins lucrativos a crescerem e se manterem por muito tempo de pé.

Escrito por Ivan Chagas:
Quero ser músico, ator, escritor e um quote de instagram. Atuei na Educação com uma startup que dava acessibilidade a conteúdo educacional gratuito. Também organizo eventos como fóruns, workshops e palestras. Apaixonado por idiomas, startups, livros e café (conheço praticamente todos do centro de Curitiba).
Cheguei em 2010 em Curitiba para fazer Administração na UFPR e, se tudo der errado, termino algum dia. Trabalhei no Centro Acadêmico da faculdade, fui diretor de relações públicas do escritório de Curitiba da AIESEC, depois fui gerente nacional de RP da AIESEC Brasil, gerente nacional de branding na AIESEC França, coach de vendas na AIESEC Bolívia e terminei como diretor de marketing na AIESEC Paraguai, onde fiquei um ano trabalhando no intercâmbio profissional em Assunção. Voltei ao Brasil em 2014 e abri uma startup de educação chamada Vosuni, que faliu.
Hoje, trabalho para formar essa rede de pessoas incríveis que é a Polímatas, junto com meu sócio Luis Krüger. E, no meio tempo, organizei um festival de jazz para 10.000 pessoas, um TEDx em Curitiba, gravei um curso online e escrevi um livro.

Sem respostas a "Saiba como captar mais recursos melhorando a gestão da sua organização"


    Tem algo a dizer?